Após matar e enterrar namorada na Paraíba, jovem desenterrou corpo pra queimar, diz testemunha

Polícia Civil apreendeu lanterna e enxada usada para desenterrar corpo de Ana Katarina antes de carbonização — Foto: Durval Barros/Polícia Civil

O depoimento de um adolescente está ajudando a Polícia Civil a elucidar o caso da morte de Ana Katarina, de 17 anos, da cidade de Soledade, no Cariri paraibano. O namorado dela, Alisson Bruno, de 21 anos, foi preso como principal suspeito do crime. O depoimento prestado pela testemunha nesta quinta-feira (11) tem detalhes de como Alisson agiu e como fez para ocultar o corpo da vítima. O namorado também planejou incriminar outra pessoa pela morte.

Ana Katarina havia desaparecido no dia 3 de junho de 2018. Após 10 meses de investigação a Polícia Civil conseguiu chegar a autoria do crime. Antes de ser preso, Alisson já vinha sendo investigado. Ele negava saber o que tinha acontecido com a namorada, mas moradores de Soledade disseram que haviam visto a adolescente pela última vez com ele em uma moto.

A morte

Segundo a Polícia Civil, o depoimento foi prestado por um amigo de Alisson Bruno, a quem ele confidenciou o crime e pediu ajuda para ocultar o corpo após matar Ana Katarina. De acordo com o depoimento, Alisson matou a namorada com tiros de espingarda de cano duplo, fabricada de forma caseira. O crime ocorreu no dia 3 de junho de 2018, mesmo dia em que a família percebeu o desaparecimento da garota.

G1PB