Após vídeo polêmico, Styvenson justifica fala sobre caso de PM em Santo Antônio e questiona: “o que eu disse que chocou tanto?”

Reprodução

Após o trecho de uma transmissão ao vivo repercutir na internet e gerar críticas, o senador Styvenson Valentim (Podemos) publicou um outro vídeo em suas redes sociais, comentando a polêmica em que se envolveu. “O que foi que eu disse que chocou tanto?”, questionou o político se referindo ao vídeo em que ele afirma: “Sei lá o que essa mulher fez para merecer os tapas”.

No vídeo que gerou a polêmica, o senador comenta sobre o caso envolvendo o policial militar e uma mulher no município de Santo Antônio. Na tentativa de justificar a fala, Styvenson diz: “Talvez eu tenha usado a palavra ‘merecer’ de forma equivocada. Quando eu disse ‘tapa bom’, foi porque foi tapa bem dado, tapa que valeu, tapa que pegou mesmo de cheio. Tapa bom foi nesse sentido figurado. E quando eu disse ‘merecer’ foi o que é que aconteceu para levar [o tapa]. Eu quero saber o que aconteceu para ter agressão, o que motivou a agressão”.

“Eu, enquanto policial, quando vou para uma ocorrência, preciso saber o que está acontecendo. “Mas justifica violência?”. Não sei, gente. Não sei o que aconteceu. Antes de acusar ou defender, eu só perguntei o que aconteceu naquela ocorrência para chegar àquela finalidade. Só isso. Agora eu vou atrás do policial, que está afastado, vou querer saber a versão dele. E vou na casa da mulher para ouvir a versão dela”, acrescentou Valentim.

O senador ainda teceu críticas à imprensa e disse: “[Os jornais] só retiram o trecho que querem e o descontextualizam. Mas a gente precisa entender o que está na cabeça do policial. Se ele é espontaneamente agressivo ou se ele foi motivado para aquela agressão. Mas nenhuma das hipóteses justifica qualquer tipo de lesão”.

Por fim, Styvenson ressaltou: “É ridículo ter que vir aqui explicar um português que ficou ambíguo. (…) Eu espero que, quando você precisar do 190, quando você precisar do policial, lembre-se que ele é humano igual a todo mundo, que erra também”.

O vídeo que viralizou foi gravado durante uma transmissão ao vivo. Na ocasião, Styvenson diz: “Um dia me pegaram numa entrevista e disseram: capitão, o caba deu na mulher com uma criança e não sei nem o que, não sei nem o que. E eu disse: amigo, eu não estava na ocorrência. Eu não estava. Eu não sei como foi. Como eu vou dar uma explicação de uma coisa que, pelo vídeo aí, eu estou vendo que ele está dando dois tapa (sic) na mulher, uns tapa (sic) bom, na mulher. Agora, eu sei lá o que essa mulher fez para merecer dois tapa. Será se ela estava calada, rezando o Pai Nosso, para levar dois tapa (sic)? Eu não sei, eu não sei”.

O caso ao qual o senador se referia ocorreu no dia 15 de julho, no município de Santo Antônio, no interior do RN. Um policial militar foi flagrado agredindo uma mulher e a chamando de “cachorra” ao atender a uma ocorrência de violência doméstica. A mulher estava com uma criança no colo, quando foi atingida por tapas no rosto e empurrada ao chão.

A fala polêmica foi bastante criticada por internautas e pela classe política. Deputadas e vereadoras potiguares manifestaram repúdio ao posicionamento do senador.

Portal da Tropical