Caso Karol: Caminhoneiro acusado de matar adolescente de Goianinha é julgado na Paraíba

Reprodução

Foi iniciado na manhã desta quarta-feira (1º) o julgamento do caminhoneiro acusado de matar a adolescente Karolina Oliveira Gomes, de 16 anos, em agosto de 2019. O júri popular acontece no Fórum de Mamanguape, no estado da Paraíba. A decisão pode sair ainda nesta noite.

O julgamento foi iniciado com os depoimentos de dois policiais civis que ajudaram na investigação do crime. Depois, foram ouvidos os pais da vítima, o ex-namorado e, em seguida, o réu, Josué Cabral dos Santos. No depoimento, ele falou que a menina era amante dele, declaração que foi rebatida pelo pai da adolescente.

A promotora de Justiça, Juliana Salmito, falou que vai pedir a condenação máxima de Josué. Por outrado lado, o advogado de defesa não quis dar entrevista à reportagem da TV Tropical.

O delegado Tiago Cavalcanti falou sobre as investigações. O crime foi solucionado em 27 dias pelos policiais do Núcleo de Homicídios de Mamanguape.

“Se tratou de uma infração penal gravíssima, que causou consternação até mesmo nas forças de segurança. Conseguimos, a partir do monitoramento do aparelho telefônico da vítima, identificar a autoria e prender o acusado no estado de Pernambuco. Ele foi indiciado por homicídio triplamente qualificado”, explicou.

O crime

Na noite de 5 de agosto de 2019, Karolina saiu de casa, em Goianinha, para imprimir um trabalho da escola. Não voltou mais.

Câmeras de segurança registraram a adolescente caminhando na calçada. Segundo a polícia, depois de ser abordada por Josué, que também aparece nas imagens, ela foi levada pelo homem até uma estrada carroçável no município de Mamanguape e assassinada. Antes, a menina ainda foi violentada sexualmente.

Em casa, a mãe deixou o quarto da garota da mesma forma que ela deixou antes de sair de casa. Karolina era estudiosa, tocava violino e sonhava em ser engenheira.

Outro sonho era tirar a carteira de habilitação quando fizesse 18 anos para dirigir o veículo da família. Não foi possível.