Em entrevista à rádio, Lula Ribeiro quebra silêncio e diz que Santo Antônio estar em ‘calamidade’ na atual gestão

Dez meses depois de deixar a administração do município, o ex-prefeito Lula Ribeiro (PMDB) quebrou o silêncio nesta quarta-feira (1º), durante uma entrevista concedida à Rádio Talismã FM. Dentre outros assuntos, Lula fez um balanço das ações realizadas durante sua gestão à frente do executivo municipal, falou sobre a atual situação do município e os seus planos para o futuro.

Ao falar sobre sua administração, Lula disse ter entregue três postos de saúde nas comunidades de Timbaúba, Umburana e Capim Açu, e deixou outro praticamente concluído na sede do município, além de uma UPA em plena execução com recursos de mais de R$ 1 milhão e 600 mil em conta para que a atual gestão possa concluir a obra. Na área da saúde, Lula destacou que comprou veículos novos e ambulâncias para transportar os pacientes e servir à população, lembrando que quando assumiu a prefeitura não tinha nenhuma, e falou que não faltava médicos e medicamentos durante sua gestão. “Hoje o atual gestor fechou postos de saúde do Gravatá, em Angicos e em Lagoa da Cobra. Não tem médicos na Umburana nem na Timbaúba”, mencionou. Entre outras obras realizadas, Lula citou o campo de futebol que passou 15 anos parado e foi construído no seu mandato, comprou tratores novos para a agricultura, entregou duas quadras de esporte e duas passagens molhadas na zona rural feitas com recursos próprios do município.

Questionado sobre a atual situação do município, Lula afirmou que Santo Antônio vive um momento de calamidade administrativa citando o atraso nos salários dos funcionários, postos de saúde fechados e falta de médicos nas unidades de saúde.

O ex-gestor criticou o que o atual prefeito chama de crise para justificar o atraso no pagamento dos funcionários e classificou como falta de gestão o que acontece na atual administração do município. Lula disse que crise existe há muito tempo lembrando que o seu sucessor recebeu R$ 4 milhões a mais, considerando apenas os 10 primeiros meses da atual administração, em comparação com o mesmo período do ano passado em que esteve à frente da prefeitura. “A nossa cidade depende muito do salário da prefeitura. Quando fui prefeito, tínhamos em torno de 1.200 mil funcionários que recebiam em dia seus salários e nunca deixei de pagar aos funcionários e aos fornecedores. Se entrou 4 milhões em 10 meses a mais na atual gestão, então estar claro que não é a crise”, afirmou o ex-prefeito. Lula também ressaltou que fez a antecipação de parte do 13º salário dos funcionários durante seu governo e o atual gestor ainda não pagou.

“O povo de Santo Antônio quer saber por que o atual gestor recebeu mais dinheiro e não paga a ninguém”, questionou Lula.

Quando indagado a comparar sua gestão com a atual, Lula declarou que, quando foi eleito para administrar o município, não fez nenhum acordo político e montou uma equipe para trabalhar. “Falta hoje é gestão porque outras cidades vizinhas pagam em dia e não passam o que Santo Antônio vem passando. Estamos passando é uma calamidade”, frisou Lula.

Ao falar do atual gestor, Lula lembrou algumas das promessas feitas na campanha do seu sucessor e disparou: “O atual prefeito disse nas casas que iria dormir no CCI e ia dar de casa ao povo. Hoje ele fez tudo o contrário”, disse Lula, acrescentando que o CCI só funciona jma vez por semana quando antes eram duas vezes, e o Sopão ainda não começou a funcionar desde que o atual gestor assumiu.

Perguntado sobre seus projetos políticos, Lula se colocou à disposição do povo para lutar por dias melhores para o município e disse que vai fiscalizar junto com a oposição. “A gente não pode abandonar a política porque quero o melhor para o meu povo e estou à disposição”, finalizou.