Instituto Exatus acerta em cheio resultado das urnas em Santo Antônio e desmoraliza metido a “cientista político”

Reprodução

O Instituto Exatus foi preciso ao acertar na “mosca” o resultado da eleição em Santo Antônio no último domingo, 15 de novembro. Em pesquisa divulgada na sexta-feira, dois dias antes do pleito, o instituto apontou vitória de Raulison Ribeiro (MDB), com vantagem de 8 pontos percentuais sobre o atual prefeito Josimar Ferreira (PSC), segundo colocado. Raulison venceu as eleições municipais com maioria de 1.211 votos.

O resultado das urnas confirmou os números levantados pela pesquisa da Exatus e “quebrou a cara” de aliados do atual prefeito que tentaram descredibilizar o instituto, inclusive um metido a “cientista político” que chegou a chamar de piada o levantamento estatístico e os dados apontados pela empresa. Apesar de novo no mercado de pesquisas de opinião pública, a Exatus acertou em cheio os vitoriosos em praticamente todos os municípios do Estado, em alguns deles dentro da margem de erro e outros de forma precisa, como foi o caso de Santo Antônio.

Além de querer descredibilizar o instituto Exatus, contratado pelo Jornal Agora RN, um veículo de comunicação de credibilidade e seriedade no Estado, o tal “cientista político” que também era coordenador de campanha do prefeito Josimar, tentou impugnar a pesquisa, no entanto, o pedido foi rejeitado pela juíza eleitoral por falta de provas e fundamentos na alegação. Diante disso, ele divulgou na véspera da eleição, uma pesquisa fraudulenta, impugnada pela justiça eleitoral por não atender os critérios técnicos, em que colocava Josimar com 4,5% na frente.

A pesquisa do Instituto Seta divulgada foi contestada em vários municípios e foi suspensa por determinação da justiça eleitoral por causa de irregularidades encontradas na sua amostragem e por suspeitas de ter sido forjadas. Com a clara intenção de favorecer seu candidato, o ‘cientista político’ divulgou os números através de grupos de Whatsapp descumprindo a decisão judicial. Ele foi representado na justiça por divulgação da pesquisa irregular e deverá pagar uma multa de R$ 60 mil.

Ainda inconformado com o resultado e a tendência apontada pelos números, o coordenador de campanha de Josimar ainda divulgou uma suposta “boca de urna” indicando uma vantagem de 6 pontos para o atual gestor. Em um áudio que circulou nas redes sociais, ele cita o dado e convoca os correligionários para ir às ruas em arrastão e provocar tumulto para comemorar o resultado, conduta vedada pela Justica Eleitoral no dia das eleições.

Moral da história: o ‘cientista político’ errou feio nas análises e nos números, e ainda vai pagar uma multa por divulgação de pesquisa fraudulenta e querer desequilibrar o pleito. Só digo uma coisa: é melhor esse rapaz que se intitula “cientista ou analista político” rever seus conceitos e se aquietar porque de política não entende de nada.