Na última sessão legislativa de 2017, Vereador Professor Júnior faz balanço dos trabalhos na Câmara e diz que gestão municipal foi marcada por “falhas”

Na última sessão ordinária do Poder Legislativo em 2017 realizada na noite desta quarta-feira (13), o vereador Professor Júnior Teixeira (PRP) fez um balanço dos trabalhos legislativos na Câmara Municipal e de sua atuação parlamentar no ano. Professor Júnior disse que ao longo do ano apresentou diversas proposições pautadas em reivindicações da população, no entanto, disse que a maior parte dessas cobranças não foram executadas por parte da gestão municipal, solicitando serviços de manutenção na iluminação pública, limpeza de várias ruas e reparos em estradas vicinais, esgotos, instalações físicas de escolas, quadras de esporte e postos de saúde, dentre entras solicitações.

Ao fazer uma avaliação da atual administração municipal, o parlamentar comentou que a gestão deixou a desejar em diversos pontos e ficou marcada por muitas “falhas”, citando a falta constante de medicamentos no posto de saúde, equipamentos públicos abandonados sem ter vigias, oito ônibus quebrados sem estar funcionando e o atraso no pagamento dos salários dos servidores contratados.

Professor Júnior criticou a falta de compromisso da atual gestão quando fala em trazer emprego para Santo Antônio, mas não tem honrado os aluguéis de um prédio onde funciona uma fábrica de confecções que mantém cerca de 40 pessoas trabalhando na cidade e pode ir embora por falta de apoio e incentivo por parte da administração municipal.

Entre outros assuntos, o vereador falou também sobre o programa Cozinha Comunitária que só abriu as portas no fim do ano funcionando apenas duas vezes por semana, os usuários do CAPS que faz três meses que não dispõem do transporte oferecido pela prefeitura, e cobrou o pagamento em dia dos servidores, sobretudo os contratados que acumulam meses sem receber seus salários, e o décimo terceiro dos efetivos que ainda foi pago em sua totalidade.

Ainda em seu pronunciamento, Professor Júnior questionou a licitação feita pela gestão para a aquisição de uniformes a serem distribuídos entre as equipes participantes do campeonato municipal, tendo em vista a quantidade dos ternos entregue não condiz com o material licitado e prometido pelo prefeito.