Pico epidêmico da Covid-19 no RN será em julho, alerta pesquisador potiguar

O Rio Grande do Norte do Norte terá o pico da epidemia da Covid-19 até meados de julho deste ano. A previsão é de que serão mais 100 mil casos de casos sintomáticos – com os efeitos da doença no organismo. Além disso, a estimativa é de que até nove mil potiguares necessitarão de algum atendimento hospitalar, seja em serviços ambulatoriais ou de internação. A previsão é do professor José Dias do Nascimento Jr., integrante do Departamento de Física Teórica e Experimental da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ele é responsável pelo modelo físico-matemático que analisa o impacto da pandemia do novo coronavírus entre os potiguares. A declaração foi dada ao Jornal Agora RN, publicada nesta segunda-feira (1°).

O potiguar é atualmente pesquisador convidado do centro de astrofísica da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Foi a partir da cidade americana de Cambridge, nas cercanias da prestigiosa instituição de ensino, que ele conversou com o Agora RN. Ele é autor de análises matemáticas para o Governo do Estado e para o Comitê Científico do Consórcio Nordeste.

“O pico de contágio aconteceu no final de abril e primeira quinzena de maio. Isso significa que teremos, mais na frente, um pico de agravamento, que é quando os sintomas aparecem e mais pessoas precisam de internação”, explicou.