Sem presença de nenhum vereador, sessão convocada pelo prefeito Josimar para votar reajuste de impostos não ocorre

Nenhum vereador apareceu na tarde desta quinta-feira (27), na Câmara Municipal de Santo Antônio, para a sessão extraordinária convocada pelo prefeito Josimar Ferreira. Isso mesmo. Como já é de costume, a sessão não ocorreu. O plenário ficou totalmente vazio. Apenas dois funcionários da Casa estiveram presentes.

O que chama atenção é que nem os vereadores que integram a base aliada à administração Josimar compareceram à sessão. O motivo da ausência não foi comunicado. Sem dar qualquer explicação, a equipe da gestão Josimar ao que parece teria recuado de votar o código este ano após ter conhecimento que a oposição não iria se fazer presente na tentativa de impedir a aprovação do projeto ou teria sido por causa da repercussão negativa na mídia acerca das medidas anunciadas de aumento nos tributos municipais que trariam impacto no bolso do cidadão e comerciantes locais. Enfim, ninguém do governo municipal procurou os meios de comunicação para se manifestar sobre o assunto.

Conforme o blog já havia informado mais cedo, a bancada da oposição não iria comparecer após ter decidido em reunião de faltar propositadamente para barrar a votação do projeto de um novo código tributário com uma série de mudanças na fórmula de cálculo dos tributos municipais. No entendimento da bancada oposicionista, faltar a sessão foi a solução encontrada para que o código não fosse votado, visto que a base do governo hoje tem maioria de votos e o projeto seria aprovado. Para a oposição, as alterações propostas pela gestão Josimar, caso sejam aprovadas, irão penalizar a população que passará a pagar mais caros por impostos.

Essa foi a terceira tentativa da gestão Josimar de passar o código na Câmara, porém sem êxito e o que tudo indica a discussão em torno do projeto vai ficar para 2019. Restando apenas amanhã, último dia útil do ano, o prefeito poderá ainda convocar novamente os vereadores para uma nova sessão extraordinária para tentar aprovar o código tributário no apagar das luzes de 2018.