UFRN fará parte do Comitê de Prevenção e Combate à Tortura

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) fará parte do Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. A comissão lança nesta quarta-feira, 28, às 17h, em Brasília, o Relatório de Monitoramento de Recomendações sobre os Massacres Prisionais dos Estados do Amazonas, do Rio Grande do Norte e de Roraima.

O relatório tem como objetivo a descrição e a sistematização de um conjunto de informações, dados e análises sobre as ações e medidas adotadas pelos poderes públicos, em resposta aos episódios de violação de direitos de pessoas encarceradas, sobretudo no que diz respeito à integridade física e à vida, ocorridos no primeiro mês do ano de 2017.

A integração da instituição ao organismo se deu por meio de edital, e representa mais um movimento da UFRN dentro das política e práticas de afirmação dos direitos humanos, de forma a mobilizar ações positivas para a sociedade. Exercem a função de representante da Universidade no órgão a titular Cândida Souza, coordenadora-adjunta do Centro de Referência em Direitos Humanos (CDRH) da UFRN, e na posição de suplente Jorge Falcão, pró-reitor de Pesquisa (Propesq).