Varejo do RN tem segunda alta consecutiva em junho e sobe 5,2% nas vendas diárias

As vendas do comércio varejista do Rio Grande do Norte alcançaram um volume diário de R$ 90,4 milhões em junho e registrou pelo segundo mês consecutivo uma alta. Esse crescimento foi patamar representa um aumento de 5,2% em comparação a maio e 31,2% em relação a junho do ano passado. No mês, foi o setor que teve o melhor desempenho entre as principais atividades econômicas do Rio Grande do Norte com uma média de operações de 26,9 milhões de vendas por dia. 

O segundo setor que mais teve o maior volume de vendas foi o atacado, com uma média de R$ 57,9 milhões negociados a cada dia de junho. Depois, aparece o comércio e distribuição de combustíveis em geral, com um volume médio diário de R$ 52,7 milhões, referentes à comercialização junto ao consumidor final ao longo do mês. A indústria atingiu uma média de R$ 48,9 milhões negociados diariamente e o setor de bares e restaurantes passou de R$ R$ 3,6 milhões, verificados em maio, para R$ 4,2 milhões por dia no mês passado. 

No total, as atividades econômicas potiguares, nas quais incidem o Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), somaram, juntas, uma média de R$ 349,07 milhões, valor que é 12,73% maior que o de maio, configurando o melhor resultado da série histórica desde que os indicadores passaram a ser monitorados pelo governo, no início do ano passado.

Os dados sobre a movimentação dos setores produtivos no sexto mês de 2021 são da Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN), que divulgou nesta segunda-feira (12) a 20ª edição do Boletim de Atividades Econômicas. O informativo mensal reúne os principais indicadores da economia do Rio Grande do Norte a partir da emissão de notas fiscais e do volume negociado pelas empresas potiguares. A publicação completa está no site www.set.rn.gov.br/.

O Boletim de Atividades Econômicas também destaca o desempenho da arrecadação estadual. O total de receitas próprias recolhidas no mês passado foi o melhor do ano, R$ 601 milhões, só ficando atrás do volume arrecadado em dezembro, quando o RN arrecadou R$ 690 milhões. Esse desempenho das receitas próprias em junho é 36% maior que o recolhido no mesmo mês do ano passado, quando as receitas totalizaram R$ 478 milhões. 

Esse resultado foi influenciado principalmente pelo ICMS, cuja arrecadação chegou a R$ 535 milhões. Isso representa um crescimento de 40% em relação a junho de 2020 e também um avanço em comparação com maio deste ano, quando o recolhimento desse tributo somou R$ 496 milhões.